18 de julho de 2011

Às vezes, lá calha...

«Patricia Bettini é meia hippy, mas não quer ir para a cama comigo enquanto não terminarmos o liceu. Ela vê o fim do colégio como uma libertação. Imagina as coisas boas da vida todas juntas: a universidade, o sexo e, naturalmente, o fim de Pinochet. É como os católicos quando fazem jejum. Meteu-se-lhe na cabeça que, se aguentar estes seis meses, terá uma boa pontuação na prova de aptidão, entrará para Arquitectura e Pinochet será derrubado.»

4 comentários:

Cristina Torrão disse...

:)

fallorca disse...

Nessa altura, uns traziam/procuravam O Livro Vermelho de Mao, eu achei este muito mais colorido ;)

F disse...

Lembrei-me do "Livrinho Vermelho do Galo de Barcelos". Alguém conheceu?

fallorca disse...

Mau....