28 de julho de 2011

Papiro do dia (107)

«Pra ondé que tu ias, vamos lá a saber?
Pra lugar nenhum, respondeu Holme.
Pra lugar nenhum.
Isso.
Ainda és capaz de lá chegar, comentou o homem.»

[Cormac McCarthy, Nas Trevas Exteriores; trad. Paulo Faria, Relógio D´Água 2011;
tu queres é a minha desgraça]

14 comentários:

salamandrine disse...

e tu a minha.

fallorca disse...

Tu ainda estás na fase de recobro, pós-Suttree.
Fiufiu...

salamandrine disse...

Precisamente. Devia guardar o resguardo e tu estás a fazer-me mal!

fallorca disse...

Ah... sendo assim, não digo o que fnaquei quando fui entregar o material para a «carta de chamada».
(era o termo em vigor)

salamandrine disse...

tu sempre és muito sacana!

diz lá, pá!!

fallorca disse...

sacana, ok
Já não sou gajo, nem mete nojo... ok

LÁ!

salamandrine disse...

gajo sacana e mete-nojo!

pá!

fallorca disse...

Digo-te ao oibido no terraço ou no recato do costume.
Fiufiu...

(como é quase fds e deves entrar numa misantropa, posso ir descansado até aos Loucos e Sonhadores)

salamandrine disse...

LOL

Adivinhas-me com facilidade :P

(mete-nojo)

fallorca disse...

Fiufiu...
(miuda da boina :P)

Ana Cristina Leonardo disse...

fallorca, e a parte dos porcos? tu leste a parte dos porcos?!

fallorca disse...

leoparda, aproximo-me vertiginosamente desse momento que tanto aprecias.
Depois de ter lido perto de 1/3 de rajada, comedi-me e ontem adormeci no início da pág. 111.
(Tem cuidado com a debilidade da "miúda da boina". Leu o «Suttree» e encontra-se ainda no recobro)

salamandrine disse...

raisparta.

fallorca disse...

ahahahahahahaha