6 de setembro de 2011

Às vezes, lá calha...

«Entre os escritores, um ocupou, até este Agosto, o pódio do meu desprezo mais profundo e sincero: o Saramago. (...) Engoli em seco e meti O Ano da Morte de Ricardo Reis na mala de viagem.»

[work in progress]

8 comentários:

Funes, o memorioso disse...

E pode saber-se a razão desse proclamado desprezo profundo e sincero?
Gosto de gente que despreza literariamente com profundidade e sinceridade.

fallorca disse...

As razões são as da senhora, da autora do blogue. Basta seguir os links

F disse...

É sempre bom "ler para crer"!
:-)

fallorca disse...

Sou altamente suspeito, precisamente com esse título:)

a. disse...

:) li esse post da ana de amsterdam e sorri, o ano da morte de ricardo reis é o meu livro favorito do saramago. ver a referência a esse post aqui, ligado a esta fotografia, fez-me sorrir novamente.

fallorca disse...

a(sinha),
ainda bem que se alarga a sintonia; algo me dizia que iria precisar dela. O tal «pudor» que mencionei :)
Obg
(só para enervar proprietárias de esplanadas, algures, no Alentejo: Porto Covo está de se lhe tirar o chapéu, e até nem uso :D )

Moura Aveirense disse...

Ainda bem, mais vale tarde que nunca! Saramago foi um belíssimo escritor, adoro os seus livros. E não tenho paciência para as pessoas que dizem não gostar dos seus livros sem ter lido nenhum...

fallorca disse...

«...Saramago foi...» É, temos a Obra :)