27 de abril de 2010

Às vezes, lá calha...

«Ser-se escritor é convertermo-nos noutro. Ser-se escritor é convertermo-nos num estranho, num estrangeiro: temos de começar a traduzir-nos a nós mesmos.»

2 comentários:

Solange disse...

Mucho me ha gustado tu texto que no sé si lo escribiste a lápiz o no...Sólo sé que me ha gustado.

fallorca disse...

No es mio, sí de Justo Navarro, nena :)