3 de abril de 2011

Nem sempre a lápis (147)

Um livro sublinhado é um objecto urbano equipado com um semáforo. Quando o abrimos, alguém se outorgou a atitude didáctica de interromper e antecipar o curso natural da leitura. Tratando-se de um livro usado, consumido, não se compreende a ânsia de atenção para com o transeunte a vir; concorde-se ou não com a cor, com o sentido. Uma coisa é certa, um livro sublinhado não permite a transgressão de desrespeitar um sinal; é um agente do big brother literário.

7 comentários:

salamandrine disse...

LOL!

Agora imagino cada semáforo que planto em cada livro, como uma provocação a ti dirigida :P

Tu mereces.

lebredoarrozal disse...

os meus livros estão cheios de semáforos.
se não tivessem semáforos não seriam meus.:P

salamandrine disse...

shhhh

não digas isso tão alto que ele ainda se sente mal!

fallorca disse...

Fiufiu...

lebredoarrozal disse...

não há livro que resista aos meus semáforos:P

lebredoarrozal disse...

um livro meu é mais ou menos isto:P
http://www.comicbookdaily.com/wp/wp-content/uploads/2010/07/traffic_light_tree.jpg

fallorca disse...

Já percebi; o teu lado oculto de vereadora do pelouro do trânsito :P