10 de janeiro de 2012

Nem sempre a lápis (250)

Fazendo-se de novas, a Nico ofereceu-me um novo formato, imediatamente legível. Mais pequeno que uma A4 deitada, escrevo na palma da mão sem ler as linhas. Três anos depois de um bloco feito com folhas de toalha de mesa, espero o bom proveito de andar com a escrita na mochila; ao sabor dos percursos.