4 de janeiro de 2011

Porque a Net fornece um novo dia

13 comentários:

salamandrine disse...

bolas. veneno pá!

fallorca disse...

E ontem em Huelva não havia os «venenos» da nossa preferência, mas apanhei o último de John Berger, «Con la esperanza entre los dentes» e a Nico apanhou «Querida Brenda», as cartas de amor entre Henry Miller e Brenda Venus. Fiufiu...

salamandrine disse...

vá, continua com o veneno! :P

(mete-nojo)

e eu disse-te que ia ser vila-matiano, eternamente à procura de Vilem-Vok ;P

imo disse...

o que eu procurei esta pérola... sem a encontrar. que achaste?

fallorca disse...

Imo, Walser, Walser e Walser...
Tentarei encontrar um para ti

imo disse...

:)
(e obrigada...)

MCS disse...

só para fazer inveja: eu tenho este livro (depois de ter... hã... visto o filme, precisei ler o filme novamente ;-)

fallorca disse...

Eheheh

Paula disse...

Parabéns pelo blogue ;) gostei!

fallorca disse...

Obrigado, Paula, também já fui fazer uma pequena viagem pela leitura e voltarei lá com tempo

maria disse...

'tá-se mesmo a ver que nunca leram "A Lenda de Sarabuçú", revestida do pior velino, rasgado no canto inferior direito, adquirido ao Arco d'Almedina por sei lá quanto em sei lá quando e eis como termina:
«O café na história, no folclore e nas belas-artes»

fallorca disse...

Ao Arco d'Almedina o que se adquiria (em noites de queima) era uma bruta Quebra-Costas, veneno!

imo disse...

inveja induzida com sucesso ;) bem-haja, MCS