15 de agosto de 2011

Às vezes, lá calha...

«Em certas épocas de crise, qualquer anão míope
é substituível por um clérigo leitor de Céline.»

5 comentários:

Nuno Monteiro disse...

Não estou certo que ela tenha idade para ser leitora de Céline mas comprovo que há alguns clérigos capazes (de o ler).

a outros o homem deve causar-lhes pavor

a (des)propósito, agora chamam comunista ao Obama! O que dirão do Cubano, ou do Venezuelano que lhe ofereceu este livro?

fallorca disse...

Não percebi

Nuno Monteiro disse...

O Chávez, o venezuelano amigo do Fidel Castro e do Maradona, ofereceu "As teorias selvagens" ao Obama, o muito criticado e recém alcunhado "Comunista"; o que eu ainda não percebi é se a menina é de esquerda, não sei o que é isso de ser "Marxista de direita", li algures e parece que são palavras da própria; já li o livro e suspeito de que andou por alguns parágrafos a sombra ou o fantasma do Bolaño, tem outras muito próprias e actuais como as cenas que ligam os personagens à net e há ainda outras que me parece que são "empoladas" gratuitas...

fallorca disse...

Nuno, julgava que já tinha percebido que me estou nas tintas, para não utilizar outra expressão, para essa «gente».
«...a sombra ou o fantasma do Bolaño...», sim, a "pandilha" de «Os Detectives Selvagens» e também os mitos urbanos de «A Cidade Ausente», de Ricardo Piglia, o que só lhe fica bem

nuno monteiro disse...

infelizmente é essa gente que está por todo o lado, e a "pandilha" de "Os detectives Urbanos" são apenas construções de papel que não bulem com o mundo, a gente refugia-se na literatura e os meus heróis são alguns livros mas os livros são amiúde vencidos pelo "servilismo mascarado". Admiro o Bolaño porque ele nunca se rendeu... mas às vezes parece que os heróis padecem de extrema má sorte, como foi o caso...