31 de agosto de 2011

Às vezes, lá calha...

«Podemos tratar dos dói-dóis, mas não há cura para o facto de termos nascido; há que tirar o máximo partido dessa constatação, talvez até a possibilidade de se ser feliz.»
(Michel Crépu)

1 comentário:

Andressa C. disse...

Não há cura, ainda bem.