15 de julho de 2010

Às vezes, lá calha...

«Sabes uma coisa, filho? Os cemitérios das aldeias pequenas fazem-me sempre lembrar as fotos de família: toda a gente se conhece e toda a gente está muito quietinha, uns ao lado dos outros para sempre, cada um a olhar para o seu sonho. E com os ódios desorientados com tanta quietude.»

8 comentários:

N. disse...

:-)
dava uma unhita para ter escrito isto (eu sei, eu sei, a inveja é uma coisa muito feia)

Kássia Kiss disse...

Este texto é um tesouro. E, passo a expressão pouco original, fecha com chave de ouro. Vale a pena repetir, deixar ecoar no pensamento:
"E com os ódios desorientados com tanta quietude."

fallorca disse...

N. se não roesses as unhas...

Kássia Kiss (esse foxterrier ou Jack Daniels?, é uma delícia...), este excerto faz parte de um livro «demolidor»: As Vozes do Rio Pamano, um autor catalão "revelado", precisamente com este título, pela Feira de Frankfurt

Nuno Monteiro disse...

há poucas coisas demolidoras no mundo... e a literatura não será, com certeza, uma delas... arde muito mal dentro dos imbecis! por vezes não arde mesmo... revela-se imcombustível...

Nuno Monteiro disse...

os livros passam e esta merda fica sempre na mesma...ninguém liga aos livros...

Kássia Kiss disse...

A Lucy é um Parson Jack Russell Terrier, raça de cães que têm o nome do seu criador, um pastor (padre protestante, "parson") inglês de fins do século XIX. Este senhor Jack Russell meteu na cabeça criar os cães ideais para a caça à raposa (sabe como são os ingleses...)Fê-lo a partir do foxterrier, que achava um nada grande demais para o efeito.

E depois deste pequeno esclarecimento, agradeço a sua preciosa sugestão de leitura.

fallorca disse...

Eu sei, enganei-me no Russell; tive um casal de westies, sei bem do que está a falar ;)

Kássia Kiss disse...

Bem, eu não queria alongar esta conversa que não tem a ver com o blog, mas agora não resisto a dizer: por acaso, hesitei entre adquirir um Jack Russell e um westy ;)