27 de julho de 2010

Porque a Net fornece um novo dia

6 comentários:

fallorca disse...

Kássia K; não, é melhor K Kiss - não sei o que fiz, mas creio que quando a piquena leu o comentário da dona, fugiu para ao pé de si com ele... Desculpe.

Nuno Monteiro disse...

desaparecerá o livro... como desaparece tudo o resto... enquanto pulam das literaturas de cordel, as novelas fáceis e as telenovelas escritas, desaparecerá o livro, desaparece a arte, sufragada ante o poderio do dinheiro...

quando a humanidade deixar de publicar deixará de se lembrar de si! e então não viverão mais as estátuas...

renascerão os escritos moribundos e trucidados, os choros e os mortos, daqui a cem, duzentos, trezentos anos... aí eu estarei confortavelmente ao calor, como rei deposto...

Nuno Monteiro disse...

mas pensando melhor... merda para esta transacção toda! eu posso fotocopiar os meus textos e ofertá-los aos meus alunos... posso fotocopiar e fazer sair tudo num formato fanzine... podemos fazer tudo de novo...

Henrik disse...

Como disse o Woody: "A tradição é a ilusão da permanência." Os livros não são eternos, nem as ideias neles contidas, eventualmente o conceito de livro mudará, ou mesmo finará. Se bom se mau não sabemos, estamos a entrar numa outra era somente. Também já não ocorre a quase ninguém (salvaguardando a hipótese, contudo) escrever em papiro e não vejo ninguém preocupado com isso.

Quanto à estátua, depende do país. Na Coreia do Norte um genocídio pode ser suficiente. No cubículo portucalense basta ser presidente da junta, une-se o útil ao agradável e nomeia-se também uma rua com o respectivo nome.

Kássia Kiss disse...

Tudo bem, fallorca, coisas da net ;)

Ao Henrik: ainda assim, gosto mais da versão de presidente da junta. Não sei é como hei-de explicá-la à "piquena"...

mikael ar canjas disse...

«- Eh pá, diz-me lá!
O que é preciso fazer
para em estátua cá
ficar eternizada
preciso viver ou morrer
ou ser envernizada
para que seja cagada
por todas as raças
de pombos
e ouvir tocar os bombos
nas praças da madrugada

e eu digo-te assim
que a resposta é clara
não sejas coisa rara
pensa que não tens fim
e escreve como o Henrik
ficarás petreficada
citando mortos passados
ou talvez metalizada
pelos divinos finados

deves citar bocas mortas
Como disse o Woody: A tradição
e tratar como irmão
um qualque sessentão
que da permanência for ilusão "

as estátuas não são eternas,
nem as ideias contidas,
não andam mesmo com pernas
ou com elas partidas

eventualmente o conceito
de estátua mudará,
ou mesmo finará.
por isso não leves a peito
a cada um o seu jeito
a cada um o seu rumo
não sejas fio de prumo
nem escrevas em papiro´
em hitler não dês um tiro
para em estátua ficar



Se bom se mau não sabemos,
se henrik petreficar
mas sabemos pelo menos
que os pombos lhe vão.....